Search

Quando tudo isso passar…..

Updated: May 27

Diario na Terra - Abril de 2020:

Estou ha algumas semanas pensando como será quando este grande gap global passar, ou terminar, ou acalmar...como estaremos?  



Ninguém sabe exatamente o que acontecera, a não ser que voltaremos a viver nossas vidas, ou melhor, as nossas rotinas diárias. Mas será mesmo? Será que tudo que se passou nos últimos 3 meses é para ser esquecido? 

Se assim fosse, porque a própria natureza estaria se reciclando como agora, e apresentando índices mais baixos de poluição global, de respiro, de limpeza, inclusive dando espaço para a movimentação mais livre de diversos animais?  

Este break foi causado por energias que estão em abundancia pela internet, não precisarei cita-las aqui, basta que se procure. Então o que fazer com toda essa manifestação do que esta obscuro e aprisionado no nosso inconsciente coletivo, em meio a tanto tumulto? O que faremos com esses caldeirões de velhas emoções e novos sentimentos ,que antes estavam lá, mas fingíamos não existir? 

Ate 3 meses atrás liamos textos repetitivos e discursos sobre a loucura da internet, e como a tecnologia estava mantendo o globo isolado e sem relacionamentos reais. Que estávamos "construindo uma civilização desconectada" de conteúdo humano. Agora só possuímos a internet, entretanto outras questões bem mais relevantes se mostram.  A questão é : O que de fato temos que olhar com atenção e aprender?    O que ficou um tanto obvio é  que a internet não é  o grande problema global, e sim a maneira como estávamos vivendo, cuidando e ensinando uns aos outros!

Desde sempre crises são sazonais e comuns em nossa historia,  basta lermos sobre a nossa civilização, para aprendermos a respeito do que trazemos, já vivemos e como sobrevivemos.  

Novamente, o que esta envolvido? 

Pessoas em pânico por se confrontarem com a própria temporalidade, estão sendo obrigadas a refletir e a pensar sobre si mesmas? Pais com filhos expressando suas necessidades em tempo real, despertando angustias escondidas? O que fazer com os sentimentos mesquinhos que vieram a tona, com a falta de responsabilidade pessoal e coletiva, e com o oportunismo....? 

De repente o nosso mundo que parecia tão grande e distante, foi alinhavado em 60 dias, por um microscópico e invisível agente, que nos mostrou como somos pequenos, vulneráveis e iguais. Não existe etnia não e mesmo? Não existe um pais privilegiado e sem o tal agente invisível. Também não existe faixa etária, se considerarmos que idosos e imunodepressivos são vulneráveis desde sempre.  

Se antes ficávamos chocados diante de tanta frieza, depressão e suicídios, esses últimos meses tem nos colocado de frente com a estagnação de crenças limitantes e medievais, que continuam creditando e mantendo verdades, que separam e excluem.  

O que falar então das obrigatórias quarentenas que estamos submetidos, e do inacreditável conteúdo que veio a tona nesse período, de bom e de mal.

Naturalmente encontraremos os que não acreditavam em nada antes disso tudo, e passarão a acreditar; e ainda aqueles que acreditavam em algo mas que mudarão suas crenças. Ate mesmo aqueles que só acreditavam numa ciência cega e desprovida de essência humana e espiritual, estarão  reavaliando o que acreditam e porque! 

A nossa civilização, que esta aqui unicamente aprendendo  a viver a “humanidade”, estará sendo desafiada a frente com uma imensa reformulação de valores:   Quem antes tinha um emprego, talvez não o tenha de volta, além daqueles que há muito tempo queriam deixar o próprio emprego, e irão decidir que é hora de deixar ele para trás e mudar..... 

Há quem decidirá abandonar a família, ou talvez o parceiro. Veremos aqueles que decidirão ter filhos, e aqueles que não. Mas a sorte estará mesmo ao lado de quem olhar para os próprios filhos, e decidirem por oferecer uma nova vida e com novos valores. 

Esse momento, tão especial para quem não tem medo de se olhar, que sem pudor avalia seu  posicionamento dentro da família, dentro da empresa e dentro da vida, passa a ser único! 

Caminhar para ocupar  seu espaço, e não o do outro é  um privilegio. Só depende de cada um olhar na direção certa, e para isso temos a nossa disposição, muitos outros que já iniciaram a mudança.


A impressionante lei da ordem, exposta pelas constelações familiares está nos ensinando, e obrigando a todos que ainda persistem em dogmas limitantes:  O passado reorganiza-se quando olhamos a historia de frente e aprendemos com o que estava ali. Ninguém pode assumir o lugar de ninguém: os mais velhos vem antes, o nosso próprio planeta, os avos, os pais, assim como os irmãos e cada qual tem o seu lugar. Há um profundo desequilíbrio quando os mais novos querem ser e se posicionar como os mais velhos.  

E não por acaso estamos sendo obrigados a parar agora e olhar tudo isso de frente!  

Seja o universo, o nosso planeta, a nossa família, empresas e grupos, estamos diante de uma regra evolutiva, e que deveria ter sido respeitada desde sempre. 

Nada do que estamos atravessando veio para exterminar, esta acontecendo para que possamos mudar.  E por mais desconforto que cause a razão não é religiosa, nem humana e nem politica, a razão é EVOLUTIVA

O tempo da perfeição e das certezas terminou, chegou o momento de admitirmos que somos imperfeitos sim, e que negar os nossos aspectos, não passa de uma armadilha para nos manter excluídos do Universo.  E as certezas seja lá do que for, deixa claro sobre as nossas prisões mentais e emocionais, aumentando degraus de ignorância e de estagnação. 

Vamos conversar com quem não estamos acostumados, vamos ouvir aquilo que nunca quisemos escutar antes. Vamos nos olhar no espelho do quarto e da alma, sem medo e sem pre julgamentos; vamos olhar o outro diferente. 

Vamos admitir que existe um mundo de possibilidades e que as nossas certezas nos bloqueiam, que o medo ancestral de viver o novo, de ousar, de aprender, de reconhecer e reaprender tudo novamente, não pode nos impedir de sermos diferentes e melhores e acima de tudo em constante movimento.

Que possamos sair desta experiência Maiores, mais Humanos e quase que irreconhecíveis. 

Só assim tudo isso valera a pena. 


Cynthia france

0 views

2021  created  by Cynthia france